Lumife @ 00:36

Seg, 20/12/04

josefa_adoracao_dos_pastores-1.jpgJosefa d'Óbidos- Adoração dos Pastores



.


Os meus votos de Bom Natal para todos.






Lumife @ 18:22

Qui, 16/12/04

Dentro das nossas possibilidades iremos apresentar mais elementos sobre outros

Grupos Corais do Alentejo. Outros assuntos, entretanto, serão publicados.



Lumife @ 23:28

Ter, 14/12/04

g.c.cuba.jpg



.



Fundação - 1933


Cuba


Traje - de Ceifeiro



.


História e Características


A polifonia vocal executada a duas, três ou quatro vozes sem acompanhamento instrumental é uma das características marcantes da música tradicional em Portugal. O canto polifónico detém um lugar central na vivência social e lúdica de algumas regiões do continente português.



No Baixo Alentejo, muito particularmente, cantar em polifonia é um acto colectivo através do qual os alentejanos exprimem as suas emoções e ideias, reavivam as suas memórias e vivências e comunicam as suas reivindicações.



A tradição vocal polifónica no Baixo Alentejo, localmente designada "Cante", é constituída por um repertório de modas, versos ritmados cantados a duas vozes, em forma estrófica, sem acompanhamento musical.



Escutar o Grupo Coral "Os Ceifeiros de Cuba", um dos representantes desta tradição, é um convite para partilhar um dos modos mais eloquentes de ser alentejano.



Em 1933 foi fundado o Grupo Coral "Os Ceifeiros de Cuba" por António Luís Fialho. A sua primeira apresentação pública foi na Feira de Cuba desse ano, também ela dando os seus primeiros passos, pois foi esta a sua primeira edição. A criação do Grupo ultrapassou as marcas da protecção e manutenção do Cante Alentejano, para estabelecer uma ligação simbólica com o escritor que viria a ser adoptado como patrono do Grupo - Fialho de Almeida - sendo o seu nome inspirado no texto "Ceifeiros" daquele escritor.





Ao longo da sua história tornou-se um dos grupos mais característicos do Alentejo, acentuando a passagem do testemunho de uma tradição vincadamente regional, para uma visão partilhada e assumida de difusão cultural genuinamente popular e portuguesa, ao colocar-se sob a égide do grande escritor, cuja obra acabou por evocar.



Os Ceifeiros de Cuba - Grupo Etnográfico, actualmente ensaiados pelo Mestre Ermelindo Galinha - têm levado o nome de Cuba e do Alentejo de norte a sul do País, bem como ao estrangeiro, nomeadamente, Espanha (Burgos no País Basco e Monastério) e França (Bourgogne, Chatillhon-en-Bazois, Saulieu, Estrasbrugo, no Parlamento Europeu). Têm sido centenas as actuações do Grupo, nos mais variados contextos, quer em Feiras, Exposições, Hotéis, Discotecas, Encontros de Corais e Festivais, quer em recepções e outros eventos de carácter social e cultural; de destacar as actuações no Coliseu dos Recreios, no Teatro Maria Matos, no Pavilhão dos Desportos, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na Alfândega no Porto, no encerramento do I Congresso do Cante Alentejano, ainda as três actuações na EXPO 98, no Pavilhão de Portugal, Pavilhão dos Oceanos e Pavilhão do Território. Na Televisão o Grupo participou nos Programas "Bom Dia", "País, País" e "Cais do Oriente" da RTP1; "Acontece" da RTP2, "Jardim das Estrelas" da RTP Internacional e "Horizontes da Memória" na RTP2 e RTP Internacional; de registar, também, duas participações cinematográficas, uma no filme documentário "Alentejo Cantado" de Francisco Manso e outra em "Polifonias - Pace è Salute, Michel Giacometti", de Pierre-Marie Goulet.



A produção discográfica dos "Ceifeiros de Cuba" tem sido outro dos meios de preservação e divulgação do cante alentejano, tendo, até ao momento o Grupo produzido sete cassetes, um single, um LP e participação em três CD um dos quais editados pelo Instituto Internacional de Música Tradicional de Berlim e Smithsonian Folkways de Washington.



Os constantes convites que o Grupo recebe para actuações diversas são o reconhecimento do seu valor o qual tem sido, também, reconhecido pelos troféus que ganhou nos certames em que participou - sete primeiros lugares, quatro segundos lugares e quatro terceiros lugares.



"Os Ceifeiros de Cuba" consideram-se, por isso, um Grupo bem representativo do cante alentejano.




Lumife @ 23:16

Ter, 14/12/04

g.c.Os Arraianos.jpg



.



Fundação - 1937 com o nome de Rancho Misto de Cantadores de Vila Verde de
Ficalho


Vila Verde de Ficalho - Serpa


Traje - Domingueiro- Chapéu de aba larga preto, colete preto, camisa branca,
calças pretas, sapatos ou botas pretos, lenço vermelho e adorno na parte inferior
do autocolante




Lumife @ 23:07

Ter, 14/12/04

g.c.ausentes do alentejo.jpg



.


Fundação-25 de Abril de 1985


Palmela


Traje-Chapéu preto, camisa branca,lenço vermelho, colete e calça azul escuro




Lumife @ 23:01

Ter, 14/12/04

g.c.Margens do roxo (ervidelAljustrel).jpg



.


Fundação- 27 de Novembro de 1998


Ervidel - Aljustrel


Traje-Calça azul escura, camisa branca, colete azul escuro, bota mexicana, chapéu
preto de aba direita, lenço aos raminhos.




Lumife @ 22:52

Ter, 14/12/04

G.C.Os unidos do Alentejo.jpg



.


Fundação:04 de Março de 1983



Faralhão-Setúbal


Traje-calça e colete cinzentos,camisa azul clara, lenço vermelho e outras cores e
chapéu preto.




Lumife @ 23:53

Dom, 12/12/04

traje.jpg



.



O Traje


O traje é uma componente das mais caracterizantes dos grupos corais do Cante Alentejano.



Tradicionalmente o comércio de roupas era feito, nas aldeias e montes, por comerciantes ambulantes - os almocreves. Viajando com as suas carroças de monte em monte, forçoso era que a variedade não fosse muita!



Os tecidos restringiam-se assim ao cotim, à ganga, ao riscado ou à chita. São estes tecidos que vamos encontrar no vestir tradicional dos camponeses pobres.



As classes ricas e "remediadas", habitando tradicionalmente "na vila" e dispondo de um maior poder de compra, podiam dar-se ao luxo de vestir "roupa fina", nomeadamente nas alturas de festa.



Os grupos corais mais empenhados na questão etnográfica do traje, apresentam então nas suas actuações, um conjunto de fatos que representam as várias classes e profissões: o Lavrador, o Feitor, O Ganhão, o Pastor, o Ceifeiro, o Almocreve, etc.



.


Os Grupos


O elevado número de grupos, bem como a sua dispersão geográfica tornam complicada a criação de uma listagem completa e isenta de erros.



Procurou-se na medida do possível incluir todos os grupos existentes, dentro e fora do Alentejo. Para facilidade de consulta dividiu-se os grupos por quatro localizações geográficas:



distrito de Beja


distrito de Évora


distrito de Setúbal ( concelhos do Litoral Alentejano )


fora do Alentejo ( principalmente na área da Grande Lisboa )


Um agradecimento especial à Casa do Alentejo em Lisboa pela inestimável colaboração prestada.



-Continua-

(Alentejo digital.pt)











Dezembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
15
17
18

19
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Pesquisar
 
eXTReMe Tracker
subscrever feeds
blogs SAPO