Lumife @ 23:20

Sex, 10/12/04

gomes_alentejo1.jpgAlentejo



.


Biografia do Pintor



1890 - Nasce em Arraiolos Simão Dordio Gomes, a 26 de Julho. Entre 1902 e 1910, cursa a Escola de Belas-Artes de Lisboa onde tem por mestres os pintores Luciano Freire e Veloso Salgado.


1910 - Conquista, por concurso, uma bolsa de estudo no estrangeiro, permanecendo em Paris alguns meses, os quais trabalha na Academia Julien até que a bolsa lhe é suspensa, pelo que volta a Portugal, regressando de novo a França só em 1921.


1921/1926 - Retoma a bolsa interrompida em 1911 e parte para Paris, onde trabalha em 1921/1922 na École Nationale Supérieur des Beaux-Arts. Durante esta estadia em Paris realiza uma viagem de estudo de oito meses à Itália, visitando também a Suíça, a Holanda e várias vezes, a Espanha.


1922 - Concorre à Exposição Internacional do Rio de Janeiro, onde alcança uma medalha de ouro.


1923 - "Exposição dos 5 Independentes" que organiza com Henrique Franco, Alfredo Miguéis, Francisco Franco e Diogo Macedo e em que foram convidados a participar os artistas Mily Possoz, Almada e Eduardo Viana. Participa na 20.ª Exposição da Sociedade Nacional de Belas Artes.


1926 - Regressa a Portugal, instalando-se no Alentejo onde residirá até 1932.


1927/1932 - Entre os trabalhos realizados nesta época contam-se: 11 quadros para decoração do Salão Nobre dos Paços do Concelho de Arraiolos e a "Epopeia" políptico constituído por 5 paineis.


1930 - Salão de Outono da Sociedade Nacional de Belas-Artes


1931 - 28.ª Exposição da Sociedade Nacional de Belas Artes. Exposição Colonial de Paris.
1932 - Salão do Estoril, em que foi distinguido com uma segunda medalha. Exposição Individual na Sociedade Nacional de Belas-Artes.


1933 - Concorre à vaga de professor de pintura na Escola de Belas-Artes do Porto, cargo de que tomou posse em Março de 1934 e que só abandonou quando atingiu o limite de idade em 1960. Salão de Inverno, Sociedade Nacional de Belas-Artes.


1933/1948 - Período em que o artista, residindo no Porto, executou entre outros trabalhos: "Julgamento de Paris" (prova do concurso para professor da Escola de Belas-Artes do Porto), "O Rio Douro" (Museu de Arte Contemporânea), "Évora" (grande painel decorativo que figurou na Exposição Internacional de Paris de 1937), "A Família do Pintor" (Prémio columbano na terceira Exposição de Arte Moderna do Secretariado Nacional da Informação - 1938).


1937 - Exposição Internacional de Paris, em que recebe uma medalha de ouro.


1938 - Exposição Internacional de Nova Iorque.


1942 - XXXIX Exposição de Pintura, Desenho, Gravura e Escultura, Sociedade Nacional de Belas-Artes.


1944 - Primeiro grande trabalho de pintura mural, que consta de dois paineis decorativos, que se encontram no Café Rialto do Porto. Prémio António Carneiro na 1.ª Exposição de Arte Moderna do Secretariado Nacional de Informação, Porto.


1945 - Participa na Exposição da Fundação da Casa de Bragança, Vila Viçosa.


1947 - Executa a decoração mural (a fresco) do baptistério da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, Porto, realizando posteriormente nesta e em outras cidades várias decorações com a mesma técnica em edifícios religiosos e civís.


1950 - Participa na XXV Bienal de Veneza.


1951/1953 - Participa na I e II Bienal de São Paulo.


1955 - Presente na III Bienal de São Paulo. Exposição de Pintura comemorativa do VIII Aniversário da Fundação da Biblioteca-Museu Municipal de Vila Franca de Xira.


1956 - "Exposição de Pinturas de Dordio Gomes", retrospectiva organizada pelo Museu Regional de Évora, onde teve lugar.


1957 - Exposição de pintura moderna, organizada pelo Clube Naval Povoense em colaboração com a Academia Dominguez Alvarez. Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, em que alcançou um 1.º Prémio de Pintura.


1958 - Presente na Exposição Internacional de Bruxelas. I Exposição de Pintura Moderna em Viana do Castelo.


1959 - II Exposição de Arte Moderna em Viana do Castelo. Esta exposição foi depois apresentada pelo Círculo de Artes Plásticas da Associação Académica, em Coimbra.


1960 - "Festival de S.Lucas" - Exposição de Artes Plásticas, Museu Regional de Évora.
1961 - II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian.


1967 - Expõe no Porto, na Cooperativa "Árvore" conjuntamente com Augusto Gomes e Júlio Resende.


1969 - Executa dois trabalhos de escultura.


1972 - Prémio de Pintura do jornal "Diário de Notícias". Homenageado na sua terra natal, pela Câmara Municipal de Arraiolos e pelo Grupo de Amigos de Arraiolos.


1975 - Exposição Individual de Pintura e Desenhos na Galeria do "Jornal de Notícias"


1976 - No dia 12 de Julho faleceu na cidade do Porto.


1978 - Homenagem da Escola Superior de Belas-Artes do Porto.


1990 - Transladação dos restos mortais do pintor, no dia 26 de Janeiro, da cidade do Porto para Arraiolos, em simultâneo com o funeral de sua esposa. Homenagem prestada pela Câmara Municipal de Arraiolos: Comemorações do Centenário do seu nascimento



Anónimo @ 22:38

Dom, 12/12/04

 

Vou-te confidenciar que nunca tinha ouvido falar em Dordio Gomes , é isto que eu gosto no teu blog! A cultura portuguesa e aprendo sempre algo mais contigo!BeijosMónica
(http://mco.blogs.sapo.pt)
(mailto:monicacarvalho1@sapo.pt)

hanibal @ 16:42

Qui, 24/01/08

 

Boa tarde.

já que se fala de artista do alentejo Gostaria que perdessem um minuto do vosso tempo,
e que visitassem este blog que aqui vos deixo.
É mais um entre muitos que esta região nos tem legado ao longo dos anos

http://carlos-montes.blogspot.com

Conde @ 19:17

Dom, 14/03/10

 

Olá!
Estou a realizar uma tese de mestrado em com o tema " Estudo das Técnicas e materiais, Diagnóstico e Conservação e Restauro da Pintura Sinfonia Heroica (1948) por Dórdio Gomes". Qualquer informação que me possam fornecer sobre este pintor seria-me bastante útil. Desde já agradeço.

Rafael Prata @ 21:09

Sex, 20/12/13

 

Um dos discípulos de Dórdio Gomes foi Manuel Guimarães, também realizador de cinema, que fez um documentário de 16 minutos em 35 mm, a cores, bonito, interessante e, para quem tiver conhecido os artistas, comovente. No dia do seu 80º aniversário, um grupo de discípulos encontra-se com o mestre, conversam, e falam da sua personagem, como professor, artista e pessoa, em off ". O mestre fala, ele próprio, da sua carreira, em frente de algumas das suas telas - que fiquei curioso de conhecer porque, apesar da mediação do cinema, me pareceram lindas e fortes...
"Carta a Mestre Dórdio Gomes" (Manuel Guimarães, 1971) existe como extra no DVD "Vidas sem Rumo", editado em 2010 por Costa do Castelo Filmes.

Dezembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
15
17
18

19
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Pesquisar
 
eXTReMe Tracker
blogs SAPO