Lumife @ 19:08

Qui, 03/06/04

building380x210.jpg






Aos pés rojado branco casario



(Vassalo fiel, cega dependência!),



Vaidoso de si, da sua imponência,



Ergue o corpo aos céus, como em desafio.





*


As fendidas torres não perdem o brio,



Como revivendo antiga opulência.



A hera, porém, vê sua impotência



E trepa às ameias, tão velhas, no fio.




*


Melhores anos viu que os que vê agora...



E o velho castelo de tristeza chora



Na noite que abraça a vila que sonha.




*


De dia agiganta, julga-se senhor,



Mas, mal que se foi do Sol o fulgor,



Às trevas revela a sua vergonha.




*


(Escritos da Juventude... e Outros , do meu querido irmão António)



Anónimo @ 19:42

Qui, 03/06/04

 

Força aí! A zona do Baixo Alentejo é linda!
Espero ir para aí viver dentro de 2/3 anitos.
Sou de Lisboa mas a minha namorada é de Aljustrel, decidimos que é aí que vamos educar os nossos filhotes e não aqui no meio de carros, cimento e assaltos!
Um Abraço.

Marco Armés dos Santos
Marco Armés dos Santos
</a>
(mailto:m_arsan@sapo.pt)

Junho 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Pesquisar
 
eXTReMe Tracker
blogs SAPO